O período de declaração do Imposto de Renda termina em 30 de abril. Este também é o momento em que os bancos oferecem uma linha de crédito específica: a antecipação de IR. Ao contratar essa modalidade de empréstimo, é possível receber antecipadamente o valor da restituição a que você tem direito no ano, valor que, geralmente, é pago pela Receita Federal em sete lotes, entre junho e dezembro.

Recorrer à antecipação de IR e receber imediatamente o dinheiro é tentador. No entanto, é preciso avaliar com cuidado se essa alternativa vale a pena para você. Por um lado, pode ser uma boa opção para quem tem dívidas com juros altos, como cartão de crédito ou cheque especial. Por outro, financeiramente, não é a melhor escolha para quem quer simplesmente fazer uma viagem de férias ou comprar algo que não é tão necessário, pois parte do valor da restituição será abatida por conta dos juros do empréstimo.

Pensa em fazer antecipação de IR? Entenda como funciona a restituição do Imposto de Renda e conheça as vantagens e desvantagens de antecipar esse valor:

Como funciona a restituição do IR?

Tem direito a receber restituição quem pagou IR a mais durante o ano anterior. Profissionais com carteira assinada, por exemplo, têm o IR descontado na folha e podem ter direito à restituição.

O próprio programa da Receita Federal informa se há ou não restituição a ser recebida e o valor quando a pessoa termina a declaração do IR. A quantia é corrigida pela taxa Selic até ser depositada na conta do contribuinte.

Para pedir antecipação de IR e ter o crédito na conta é preciso fornecer ao banco em que vai pedir o empréstimo o protocolo de entrega da declaração à Receita, pois o valor do crédito é definido com base na quantia que será restituída. De 75% a 100% do valor a ser recebido pode ser antecipado.

Antecipação de IR vale a pena?

Agora que você já sabe como funciona a restituição do Imposto de Renda, fica a dúvida: vale a pena antecipar? Em linhas gerais, pode-se dizer que recorrer a essa modalidade é uma opção a ser considerada por quem tem dívidas a pagar com juros mais altos do que esse tipo de crédito ou precisa de dinheiro rápido. 

Veja, a seguir, algumas vantagens e desvantagens de pedir antecipação de IR:

Vantagens

Sanar dívidas mais caras

A principal vantagem de apostar na antecipação do IR é pagar dívidas que cobram juros mais altos do que essa modalidade. São exemplos: cartão de crédito, cheque especial e crédito pessoal. 

Então, se você tem valor de IR a restituir e dívidas nessas modalidades sem possibilidade de pagá-las, pode usar a chance de antecipar a restituição para receber os recursos financeiros necessários para quitar ou, pelo menos, abater do valor total da sua dívida, evitando pagar juros desnecessariamente.

Aproveitar juros mais baixos que outros créditos

Os juros cobrados pela antecipação do IR são estipulados por cada banco, mas de forma geral são a partir de 1,79%. Apesar da variação dos juros de instituição para instituição, na maior parte dos casos, as taxas são inferiores às cobradas por outras modalidades de empréstimo a pessoas físicas, como crédito pessoal, em que os juros ficam, em média, em 7% ao mês e, no caso do cheque especial, a taxa mensal pode chegar a 16,56%.

Conhecer as taxas cobradas em cada tipo de empréstimo é um cuidado essencial antes de tomar a decisão de antecipar o valor da sua restituição de IR.

Desvantagens

Perda de parte do valor

Recorrer à antecipação de IR pode ser uma alternativa para pagar dívidas mais caras. Por outro lado, é preciso ter em mente que o valor da sua restituição será diminuído, uma vez que do valor total será subtraído os juros a serem pagos para a instituição financeira.

Além dos juros, é preciso ter atenção ao custo efetivo total (CET) da operação na hora de colocar na ponta do lápis se a antecipação é vantajosa. Essa antecipação não deixa de ser um empréstimo, portanto, para realizar esse tipo de operação, os bancos cobram impostos e taxas, como tarifas bancárias e Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). 

Possibilidade de cair na malha fina

Outro risco a ser considerado antes de recorrer à antecipação do IR é a possibilidade de cair na malha fina. Caso isso aconteça, a liberação da restituição pode atrasar. Se o problema não for resolvido até o vencimento do empréstimo que, na maior parte das vezes, é em dezembro, o valor será cobrado pelo banco de qualquer forma.

Portanto, será necessário ter recursos para pagar o valor à vista ou ter que recorrer a outro empréstimo para não ficar devendo à instituição financeira, e, ao invés de ajudar, poderá piorar seu endividamento.

Cuidados

Além de analisar as taxas cobradas e as condições para pedir a antecipação de IR, é importante ler com cuidado o contrato com a instituição financeira. O documento deve especificar possíveis custos adicionais e juros cobrados. Por exemplo, deve especificar o que é cobrado pelo período em que demorar a sair da restituição caso o consumidor caia na malha fina. 

Caso decida pedir a antecipação de IR, é indicado ainda fazer uma pesquisa nos bancos. O caminho mais fácil é solicitar o empréstimo na instituição em que você tem conta-corrente. Mas, em alguns casos, pode valer a pena fazer uma pesquisa e negociar com o banco que oferece as melhores taxas.

Fazer a antecipação de IR pode ser uma alternativa interessante para quem tem restituição a receber e dívidas em aberto com juros altos. Caso não tenha nenhum débito nem precise do dinheiro imediatamente para cobrir alguma despesa, o mais indicado pode ser esperar a restituição ser liberada para receber o valor integral e não ter que arcar com juros e taxas de um empréstimo.

Se optar por recorrer à antecipação do IR, não deixe de pesquisar as taxas cobradas pelos bancos, ler com atenção o contrato e focar em sua organização financeira para não ter problemas na hora de pagar o empréstimo.

E você, pensa em recorrer à antecipação de IR? Tem mais alguma dúvida sobre essa modalidade de crédito? Conte para a gente nos comentários!

Afinal, vale a pena fazer a antecipação de IR? Entenda aqui!
5 (100%) 1 voto