Em momentos de necessidade, quando alguma despesa inesperada surge, aquele “limite extra” na conta-corrente parece ser uma solução. Mas, ainda que seja uma forma rápida de conseguir crédito, será que o cheque especial é a melhor opção?

Antes de tomar esta decisão é preciso conhecer a fundo esta modalidade de crédito, saber quanto custa e para que ela foi criada.

Continue a leitura e descubra o que é cheque especial e como você pode se livrar desta dívida!

Afinal, o que é cheque especial?

Algumas pessoas, principalmente aquelas que ainda não possuem muita experiência com finanças e bancos, se surpreendem ao acessar o extrato bancário e observar um valor maior do que haviam depositado. Esta quantia, vista erroneamente como um “limite extra” para gastar, é a fonte de muitos prejuízos.

O cheque especial é uma modalidade de crédito pré-aprovado que o banco oferece para correntistas. Seu limite é baseado na movimentação financeira da conta-corrente e sua taxa de juros é uma das mais altas do mercado.

Por que os juros são tão altos?

Os juros do cheque especial são altos porque esta modalidade de crédito é pré-aprovada, livre de burocracias. Basicamente, o correntista só precisa sacar o crédito que já está disponível.

Como é fácil acessar o crédito e ele é disponibilizado para um grande número de pessoas, muita gente acaba não conseguindo arcar com os pagamentos. Por isso os bancos cobram juros tão altos, para compensar os prejuízos da inadimplência.

Quando vale a pena usar o cheque especial?

Uma vez que a taxa de juros do cheque especial é extremamente alta, só vale a pena utilizá-lo em casos de emergência, quando não existe outra fonte de capital e o tempo disponível não é o suficiente para conseguir outra forma de crédito.

Dependendo da relação com o cliente, alguns bancos oferecem uma certa quantidade de dias, na maioria das vezes 10, em que não cobram juros do cheque especial. É interessante que o cliente consiga pagar o empréstimo dentro deste prazo, porque caso ele seja ultrapassado, a taxa de juros começa a incidir sobre o empréstimo e será cobrada desde o dia em que ele foi feito.

Como se livrar da dívida com cheque especial?

É verdade que o cheque especial só deve ser usado em último caso, mas existem momentos em que imprevistos acontecem e, dependendo da situação, esta pode acabar sendo a única opção disponível no momento.

Também acontecem casos em que, sem entender bem do que se trata o cheque especial, alguém o utilize de modo errado e acabe se envolvendo com uma dívida que compromete boa parte de seu orçamento.

Pensando nestas situações, preparamos algumas dicas para sair desta dívida:

Organize sua vida financeira

O primeiro passo para escapar de uma dívida é organizar sua vida financeira de modo que empréstimos não sejam mais necessários.

É preciso fazer uma planilha ou mesmo anotar em um papel todos os seus custos mensais. Você pode se surpreender com o modo como as pequenas despesas, acumuladas, têm um grande peso em seu orçamento.

Depois de saber exatamente quanto gasta todos meses, você deve cortar os gastos supérfluos. Não é necessário deixar todo o lazer e diversão, mas é sempre possível procurar por opções mais econômicas.

Além disso, quando possível, é interessante conseguir uma renda extra. Existem muitos sites especializados em trabalhos para freelancers, provavelmente suas habilidades se enquadram nas necessidades de algum desses trabalhos. Sempre existe também a opção de revender produtos ou até mesmo fazer doces ou salgados e vender para amigos e conhecidos, por exemplo.

Diminuindo seus gastos e ampliando seus rendimentos, o montante de dinheiro para quitar a dívida vai aumentar mais rápido e, depois que o cheque especial for pago, ainda sobrará uma quantia maior para investimentos ou gastos mais importantes.

Tente negociar melhores condições

Mesmo cortando gastos e arrecadando mais dinheiro com uma renda extra, algumas vezes a dívida com o cheque especial chega a um patamar tão alto que se torna inviável pagá-la. Nesse caso, é preciso procurar pelo gerente e negociar melhores condições.

Admitir que está com dificuldades para quitar a dívida não é motivo para se envergonhar, é melhor do que continuar devendo. E é preciso levar em conta que, para o banco, é mais interessante receber um valor menor do que ficar no prejuízo.

Ao negociar sua dívida é preciso ficar atento às condições oferecidas pelo gerente. Não adianta aceitar uma parcela alta demais se você não tem certeza se vai conseguir pagar. Procure por um acordo que você tenha certeza que pode cumprir.

Existe também a possibilidade de pegar um novo empréstimo, com juros mais baixos, para pagar o cheque especial. Nesse caso, você vai trocar uma dívida com juros altos por uma com juros menores e economizar na diferença de taxas.

Diminua os limites do cheque especial

Caso o cheque especial se torne uma dívida recorrente e você acredite que não tem a disciplina necessária para evitá-lo, é interessante entrar em contato com o atendimento do banco e solicitar que o limite de crédito disponível seja reduzido. Também é possível solicitar que esta opção de crédito seja desabilitada, o que impediria de uma vez o seu uso.

O cheque especial surgiu como um crédito de fácil acesso em que o correntista pode sacar em caso de emergência. Mas, seu uso indiscriminado o transformou em uma causa de dívidas, o que está longe de ser o seu objetivo original. Em todo o caso, os juros desta forma de crédito são tão elevados que mesmo nestas situações ele deveria ser evitado.

O ideal é não depender de crédito mesmo frente às despesas mais inesperadas, como acidentes de carro, perda de emprego ou problemas de saúde. Para se manter longe do que cheque especial mesmo nestas situações é interessante ter um fundo, ou seja, uma reserva de emergência em que determinada quantia está sempre preparada para as despesas inesperadas.

Gostaria de saber como fazer sua reserva? Felizmente nos já temos um material exclusivo, preparado para tirar todas as suas dúvidas sobre reserva de emergência. Confira!

Cheque especial: como se livrar dessa dívida?
5 (100%) 1 voto