A bolsa de valores é praticamente onipresente na vida da maioria de nós, mesmo entre aqueles que não tenham chegado perto de colocar um centavo sequer nos títulos negociados nesse mercado. E é simples explicar isso: basta ligar a TV, abrir o jornal ou acessar um portal na internet para ter contato com notícias sobre o sobe e desce que acontece por lá.

Já entre quem investe ou pretende fazer isso em breve, existe uma preocupação constante: os riscos. Todavia, apesar da reputação de ser um investimento arriscado, é possível adotar estratégias que ajudam a mitigar os riscos de investir na bolsa. Quer aprender algumas delas? Acompanhe o texto!

Como funciona a bolsa de valores?

Antes de aprender como se prevenir dos riscos, vamos entender o que, afinal de contas, é a bolsa de valores e como ela funciona. Ela nada mais é do que um local em que determinadas negociações são feitas, em um ambiente com regras que garantam que todas as partes envolvidas cumpram o que foi acordado em determinada transação.

Nas bolsas de valores são negociadas, entre outros ativos, as ações, conhecidas no jargão como “papéis”, que são a menor parte de uma sociedade anônima. Quem compra uma ação, passa a ser sócio daquela empresa e, assim, tem direito sobre a parte que lhe é atribuída ao capital da empresa, participando dos eventuais lucros — bem como dos prejuízos.

Ao adquirir uma ação, ela pode ser do tipo Ordinária (ON) ou Preferencial (PN). As ações Preferenciais, como o próprio nome já diz, tem preferência quanto ao recebimento de dividendos e/ou, no caso de dissolução da empresa, no reembolso do capital. No entanto, essas ações geralmente não concedem direito à voto. As ações Ordinárias garantem o direito a voto em assembleia, além de proporcionar participação nos resultados.

Quais são os principais riscos de investir na bolsa?

Ainda que investimentos de sucesso na bolsa consigam trazer rendimentos consideráveis, um dos principais pontos negativos dessa aplicação financeira são os riscos — que compreende-se como a probabilidade de algo impactar negativamente a rentabilidade de uma aplicação. Ou seja: quanto maiores eles forem, maiores as chances de alguma variável afetar o retorno da aplicação, diminuindo o retorno esperado.

Qualquer forma de investimento tem riscos. É importante entender que a exposição a níveis maiores de riscos está relacionada a uma expectativa de retorno superior. Portanto, quem opta pela bolsa de valores está se expondo a níveis maiores de perigo, principalmente quando comparados com outras opções disponíveis no mercado, como as aplicações de renda fixa, porque espera obter um rendimento superior do que receberia se estivesse investindo, por exemplo, na caderneta de poupança

O risco de se investir em ações é elevado por causa da alta volatilidade dos papéis: o preço deles sofre oscilações bruscas e é muito sensível a perturbações no cenário político e econômico, tanto nacional quanto internacional. Como as fontes de riscos são variadas, é comum que elas sejam divididas em categorias. Apontamos as principais a seguir.

Risco de mercado

Os riscos de mercado se referem aos perigos externos com os quais qualquer empresa sofre e quase sempre estão fora do seu controle. Normalmente são causados por variações em indicadores macroeconômicos, como juros ou a cotação de moedas estrangeiras.

Risco de liquidez

Precisa vender suas ações, mas não encontra comprador? Esse é o risco de liquidez, que determina a dificuldade em transformar os papéis em dinheiro vivo em caso de necessidade.

Risco da empresa

Esse tipo de risco acomete empresas com dificuldades em gerar bons resultados e indica a tendência de prejuízos, inclusive com comprometimento da saúde financeira da companhia. Com isso, os acionistas veem as ações que têm em mãos perderem valor. Por isso, é importante analisar as demonstrações financeiras (como Balanço Patrimonial e Demonstração do Resultado do Exercício) das empresas antes de investir, pois elas podem revelar muito sobre a saúde financeira da organização.

Risco da corretora

Para comprar e vender ações, é obrigatório abrir uma conta em uma corretora de valores, pois é ela que realizará a intermediação entre investidores e empresas, na compra e venda de ações. E se a corretora quebrar? Esse risco é raro, mas existe. Caso isso ocorra, com as suas ações não aconteceria nada, mas o saldo disponível em conta poderia ser “confiscado”, caso a corretora quebre.

Como se prevenir dos riscos de investir na bolsa?

Ainda que os riscos não possam ser totalmente evitados, algumas táticas ajudam a minimizá-los. Confira as melhores dicas para fazer isso de forma correta.

Diversifique

diversificação é essencial não apenas para quem investe em ações. Qualquer investidor precisa distribuir seu dinheiro entre aplicações que combinem segurança e boa rentabilidade.

Dessa forma, se algum problema ocorrer, pelo menos parte do valor aplicado estará protegido. Imagine, por exemplo, colocar todo dinheiro em uma empresa que parecia promissora e descobrir, depois de um tempo, que as promessas eram infundadas? Lembre-se que a diversificação pode ser feita investindo-se em empresas de diferentes portes, setores e estágios de maturidade. Desta forma, seus retornos terão uma correlação baixa e será possível manter uma rentabilidade média da carteira.

Escolha empresas com potencial

Uma diversificação eficiente passa pela escolha de empresas com potencial e que se mostrem lucrativas. Muitos investidores optam por adotar uma postura mais especulativa, comprando ações de companhias que estão registrando resultados ruins na expectativa de que isso melhore no futuro. O famoso: “comprar na baixa para vender na alta”.

No entanto, quem busca diminuir riscos deve evitar isso e estudar com cuidado o mercado para encontrar empresas mais estáveis e que sejam merecedoras da sua confiança. Além de potencializar os rendimentos, isso reduz o risco de liquidez: quem tem na carteira papéis de empresas consolidadas dificilmente ficará sem compradores caso seja preciso vendê-los.

Foque no longo prazo

Controle a ansiedade! Ainda que existam formas de investir na bolsa em operações de curtíssimo prazo, o ideal é buscar investimentos mais seguros no longo prazo.

De certa forma, o tempo “dilui” as volatilidades do mercado, que são mais sentidas em movimentações feitas em períodos breves. Por isso, tenha calma quando a situação parecer estar piorando: uma análise ponderada pode salvar um investimento, identificando se determinada oscilação é temporária ou se tem potencial de causar estragos.

Dê preferência ao mercado à vista

O mercado à vista, no qual as ações são compradas e vendidas comumente, é a opção que oferece menos riscos. Existem outras formas de atuar na bolsa, mas a maioria delas expõe o investidor a perigos bem maiores. Por isso, elas costumam ficar restritas a pessoas com experiência e grandes montantes de dinheiro disponíveis.

A maioria das formas de negociação que vão além do mercado à vista envolvem operações de alavancagem, uma tática na qual um investidor se endivida em busca de uma rentabilidade que cubra a dívida e ainda gere lucros. 

Conte com bons profissionais

Se você não é especialista, e não tem muito tempo para acompanhar o mercado, analisar cada empresa, e aplicar todos os pontos acima mencionados, é importante contar com a ajuda de especialistas, ou optar por investir em um fundo de ações, assim você terá pessoas dedicadas a acompanhar o mercado e gerir seus recursos da melhor forma possível.

Se você decidir comprar ações diretamente, sem ser por intermédio de fundos de investimentos, lembre-se que contar com uma corretora de confiança é importante! Embora seja tentador optar por aquelas com taxas mais amigáveis, a escolha precisa ser feita com base em uma série de fatores, que incluem a saúde financeira da empresa e a qualidade no atendimento e no serviço prestado.

Como explicamos no tópico sobre os riscos, a quebra da corretora é capaz de trazer transtornos ao investidor. Desse modo, é importante considerar a solidez da empresa contratada.É errado dizer que não existem riscos de investir na bolsa. Contudo, com as estratégias apresentadas ao longo desse texto, esses riscos podem ser minimizados, transformando esse tipo de aplicação em um ótimo investimento, que certamente merece fazer parte da sua carteira.

Quer os melhores conteúdos do nosso blog no seu e-mail periodicamente? Assine nossa newsletter e receba as melhores dicas para os seus investimentos!

Como evitar os riscos de investir na bolsa? Aprenda aqui!
Avalie esse post