Por mais que um carro deixe a vida mais fácil em alguns aspectos, é importante lembrar que a manutenção traz consigo a responsabilidade por uma série de despesas. Levando isso em consideração, encontrar meios de reduzir gastos com veículo sem abrir mão das comodidades que ele fornece, pode propiciar maior economia e um orçamento mais equilibrado.

A busca por essa redução de custos pede que algumas escolhas sejam feitas de maneira mais consciente, provocando até mesmo questionamentos sobre a real necessidade de se adquirir um veículo.

Gostaria de saber mais a respeito? Continue a leitura e conheça 6 dicas práticas para reduzir seus gastos com veículos!

1. Dê preferência a veículos econômicos

Antes de escolher um veículo é importante pesquisar o quanto de combustível ele consome. Pesquisar a tabela de consumo de diversos automóveis e fazer uma comparação entre eles é um meio interessante de escolher o mais econômico.

Optar por um carro mais caro, que em compensação percorra maiores distâncias com menos gasolina, pode ser uma decisão mais inteligente do que adquirir um veículo barato, que apresente um gasto elevado de combustíveis.

Além de escolher um veículo econômico, é importante garantir que ele tenha uma manutenção adequada. Uma vez que pequenos defeitos podem aumentar de forma considerável o consumo de combustível, zelar pela conservação frequente é um meio de reduzir gastos com veículo no longo prazo.

2. Procure conciliar o uso do carro com outros meios de transporte

Ter um carro não significa necessariamente utilizá-lo todos os dias. Fazer uso do transporte público, como ônibus e metrô, pode render uma economia considerável de tempo e recursos no final do mês.

É verdade que o transporte público não costuma ser bem avaliado pelos brasileiros, mas o fato é que o sistema vem evoluindo para atender de forma mais adequada seus consumidores. Um grande número de cidades já conta com corredores exclusivos para ônibus, o que os tornou mais rápidos e eficientes.

Uma outra opção interessante é aderir a aplicativos de transporte particular, como UBER, 99Taxi, Cabify, entre outros. Por meio de apps desse tipo, é possível contar com a comodidade e segurança de um carro com custo reduzido, sem arcar com despesas de depreciação ou estacionamento, por exemplo.

3. Evite multas

Um custo importante, mas que muitas vezes é deixado de lado, é o peso que as multas podem representar no orçamento. Por melhor e mais responsável que o motorista seja, ele não está livre de lapsos que podem resultar em alguma infração.

Outro problema a ser considerado, principalmente por motoristas menos atentos, é que o acúmulo de infrações pode acarretar a apreensão da habilitação de motorista, o que exigiria maiores gastos de tempo e recursos para conseguir reaver o documento.

4. Não se esqueça de considerar a desvalorização do veículo

Diferentemente de um imóvel, que tende a se valorizar ao longo do tempo, os veículos se tornam mais baratos à medida que o tempo passa. Assim, eles não podem ser considerados um investimento.

Isso acontece porque veículos são considerados bens de uso contínuo, por isso, o mercado faz um cálculo com base em sua expectativa de vida para decidir por quanto tempo ele ainda será útil. Quanto menor for esse período, maior será a desvalorização.

Entre os fatores que determinam a desvalorização de um automóvel, podemos citar:

  • ano de fabricação: a idade do carro tem grande influência em seu preço. Quanto mais antigo o veículo, maior sua desvalorização;
  • quilometragem: carros que percorreram um número maior de quilômetros costumam perder mais valor do que carros menos rodados;
  • conservação do veículo: um carro bem cuidado, sem grandes amassados ou arranhões, consegue ser revendido por um preço mais alto. Um bom estado de conservação também demonstra que o carro não sofreu graves acidentes, e isso se reflete em um preço melhor;
  • possíveis alterações no veículo: carros pintados com cores muito chamativas ou ornados com adesivos tendem a sofrer maior desvalorização do que aqueles mais “originais”.

Uma vez que o carro perde valor com o tempo, não existe um retorno para o capital que foi aplicado em sua compra. Por isso, é interessante escolher veículos que sofram menos com a desvalorização. Desse modo o capital aplicado manterá seu valor por um período maior de tempo.

5. Reduza os custos com estacionamento

Não é exatamente uma novidade que o estacionamento, principalmente nas grandes cidades, representa um grande custo. Não apenas financeiro, mas também de tempo, pois não são raras as vezes em que é difícil encontrar uma vaga, mesmo pagando mais caro.

Felizmente existem algumas medidas para reduzir esses custos, entre elas podemos apresentar:

Busque por promoções

Muitas instituições, como shoppings, mercados e aeroportos têm o costume de oferecer promoções, ou vagas mais baratas, em áreas mais afastadas do estacionamento. É interessante entrar no site da empresa em questão e verificar se ela oferece esse tipo de desconto.

Faça um pacote mensal ou semanal

Não são poucos os estacionamentos que oferecem pacotes mensais ou semanais, por um custo mais baixo, para seus clientes. Caso seja necessário contar com o serviço todos os dias, adquirir um pacote como esse é uma boa forma de gastar menos.

Utilize aplicativos especializados

Nos dias de hoje a tecnologia entrega soluções eficientes para diversos problemas, estacionar um carro é um deles. Atualmente, por meio de apps gratuitos, é possível procurar por vagas em estacionamentos próximos, descobrir os mais baratos, ou que estão oferecendo promoções, e até mesmo fazer a reserva para o veículo antecipadamente.

Desse modo é fácil economizar o tempo que seria gasto na procura da vaga e ainda conseguir ir direto ao estacionamento mais barato da região.

6. Avalie se contar com um carro alugado atende suas necessidades

Embora para os padrões brasileiros ter um carro próprio seja um símbolo de independência e sucesso financeiro, é interessante levar em conta os custos que ele representa e as novas opções de mobilidade.

Com os transportes públicos mais eficientes, e serviços oferecidos pelos aplicativos, que fornecem um deslocamento seguro e confortável a preços baixos, ter um carro próprio deixou de ser fundamental. Na verdade, se os custos com combustível, manutenção, documentação e estacionamento forem levados em conta, a opção de ter o veículo próprio pode se mostrar desvantajosa.

É claro que com um carro em mãos existe a conveniência de poder usá-lo a qualquer momento. Mas, caso ele fosse alugado, essa facilidade ainda existiria, isso sem o problema da depreciação do veículo, que seria responsabilidade da empresa locatária.

A questão é que ter um carro nem sempre é a melhor opção. Cabe a cada indivíduo analisar as próprias condições e verificar se realmente vale a pena adquirir um veículo.

Os carros estão ligados ao imaginário dos brasileiros e, com certeza, fazem parte de suas paixões. Mas, uma vez que muitos custos estão envolvidos em comprar um veículo, é importante ter cuidado antes de escolher o modelo ideal. Seguir essas 6 dicas práticas é uma solução para diminuir suas despesas.

Conhecer um pouco mais sobre os meios de reduzir gastos com veículo foi útil para você? Curta nossa página no Facebook e tenha acesso a mais conteúdo relevante!

Como reduzir seus gastos com veículo e economizar? 6 dicas práticas!
5 (100%) 1 voto