A falta de informações sobre um serviço pode gerar desconfiança. Por não entenderem como atua uma gestora de investimento, muitos brasileiros ainda têm receio de recorrer a esses especialistas para aplicarem seu dinheiro e buscarem alternativas que possibilitem gerar mais rendimentos. A confiança em grandes bancos ainda faz com que muitas pessoas priorizem essas instituições ao fazer investimentos. No entanto, as gestoras possuem a mesma estrutura que os bancos no que tange investimentos. A diferença consiste no fato de que uma gestora de investimentos é uma instituição independente.

Aplicar em um banco ou com uma gestora independente é basicamente a mesma coisa, afinal seja por meio de um banco ou de uma gestora independente é uma gestora de recursos que está por trás do fundo de investimentos.

A seguir, mostraremos alguns dos benefícios oferecidos pelas gestoras independente e como elas podem facilitar sua vida. Acompanhe!

Expertise e dedicação exclusiva a investimentos

Enquanto os bancos são especialistas em gestão de vários serviços como conta-corrente, empréstimos e transferências, as gestoras independentes, por sua vez, têm toda a expertise e se dedicam exclusivamente à análise de qual é o melhor investimento para os seus clientes.

As gestoras independentes, também conhecidas como assets, têm grande interesse em gerar bons rendimentos aos investidores, uma vez que possui fundos que contam com taxas de performance. Assim, se o rendimento de um fundo superar o benchmark, elas ampliarão seus ganhos, ou seja, se a gestora está sendo bem remunerada o investidor está tendo um excelente retorno.

Ao recorrer a esses profissionais, os investidores terão a certeza de que as gestoras independentes estão 100% focadas em investimentos e contam com times de analistas que se dedicam intensamente à análise do mercado.

Acompanhamento e proximidade com o investidor

Tanto fazendo um aporte diretamente com as gestoras, ou as acessando por intermédio de uma corretora, o investidor poderá recorrer à equipe comercial para receber as orientações necessárias sobre os fundos, entender e acompanhar o que os analistas e responsáveis por gerir o fundo estão adotando como estratégia. Há ainda gestoras que oferecem serviços exclusivos e diferenciados para pessoas físicas.

Baixo risco e segurança para os investidores

Ao fazer uma aplicação, é comum que os investidores se preocupem com  perda de dinheiro, para isso, as gestoras, por regulamentação apresentam todos os riscos em diversos documentos sobre o produto financeiro, além disso os profissionais estão à disposição para detalhá-los ainda mais e esclarecer qualquer dúvida pendente.  É importante mencionar que existem regulamentações rigorosas para os fundos de investimentos. Dessa forma, os riscos para os investidores são fortemente esclarecido e minimizados.

No mercado brasileiro, o controle sobre a atuação das gestoras é feito pela comissão de Valores Mobiliários (CVM). Essa entidade autárquica está vinculada ao Ministério da Fazenda e tem o objetivo de disciplinar, fiscalizar e desenvolver o mercado de valores mobiliários.

Assim como contam com as assets, que são exclusivamente responsáveis pela gestão e inteligência do mercado e de toda a estratégia de investimento, os fundos têm custodiantes. Esse pilar atua como um cofre, sendo responsável por guardar os ativos que o gestor escolhe para um fundo.

Grande parte dos valores em um fundo de investimentos — quase a sua totalidade — permanece alocada. Apenas um pequeno percentual é mantido em conta-corrente para contas a pagar e a receber. Esse é o único risco da instituição financeira. Caso o custodiante “quebre”, o investidor perderá apenas aquilo que está em conta-corrente.

É comum que investidores iniciantes associem as gestoras à atividades e produtos agressivos no mercado, o que não é mais visto atualmente, já que essas instituições oferecem diferentes tipos de produtos.

Todavia, é importante que se tenha em mente que um risco alto não determina se o fundo de investimento é bom ou ruim. Para isso, uma das medidas que a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (ANBIMA) adota é o denominado Índice de Sharpe, que busca mostrar a eficiência do risco envolvido em um fundo de investimento. Quanto mais alto for o índice, melhor é a relação risco × retorno do fundo.

Os cotistas são os verdadeiros donos do fundo de investimento

Cada ativo de um fundo de investimentos tem seu próprio risco. É responsabilidade da gestora definir onde alocará os recursos dos cotistas. O que determinará se os investidores ganharão ou perderão dinheiro são justamente esses ativos.

Porém, as garantias para os investidores são extensas. Além da gestora e do custodiante, os pilares de um fundo de investimentos são formados pelo administrador e pelo auditor. Os principais fundos são auditados pelas grandes especialistas do mercado. Para assegurar a isenção, é obrigatório que haja alternância de auditores de tempos em tempos.

As presenças de um administrador e de um auditor são algumas das características que fazem dos fundos de investimentos mais do que empresas. Eles têm CNPJ e regulamentos próprios, sendo que qualquer mudança nessa norma depende de assembleia e votação de cotistas, que podem, inclusive, requisitar a troca do gestor.

A escolha de uma gestora de investimentos

Para escolher a gestora de investimentos ideal e assegurar que alcançará os maiores rendimentos sem grandes riscos, o investidor deverá ficar atento à instituição independente com quem pretende aplicar. É importante buscar referências sobre as gestoras e verificar se elas estão registradas na CVM e se aderem ao código de boas práticas da ANBIMA.

Outros critérios a serem analisados são o patrimônio líquido do fundo, seu histórico e sua rentabilidade. Observar quem são os profissionais responsáveis pela gestão do fundo e se eles disponibilizam um canal aberto para comunicação é importante para que o investidor possa entender como seu dinheiro está sendo gerido. Mesmo que o fundo de investimentos tenha um bom histórico de rentabilidade, isso não será garantia de rendimento futuro.

Os fundos de investimentos têm aportes mínimos e liquidez variada. Para identificar a melhor opção, é preciso que o investidor entenda qual é o seu perfil, qual o prazo da necessidade do recurso e se familiarize com  os materiais de divulgação (prospecto, regulamento, lâmina, relatórios e demonstrativos).

Está interessado em investir e quer conhecer quais são as melhores opções no mercado? Então, entre em contato conosco e converse diretamente com um de nossos consultores para saber qual é a opção mais adequada ao seu perfil!

Como uma gestora de investimentos pode facilitar a sua vida?
4 (80%) 1 voto