Desde que surgiu a moeda propriamente dita, os bancos têm sido os estabelecimentos mais populares para quem precisa armazenar dinheiro e realizar transações comerciais entre pessoas, empresas e instituições.

Certamente já deve ter passado pela sua cabeça usar os serviços bancários para realizar outras atividades com seu dinheiro, como investir, por exemplo. Mas se você deseja fazer seu dinheiro render mais, certamente você pesquisa muito bem sobre as opções de investimentos, certo? E por que não pesquisar também outros locais para realizá-los? Investir fora do banco pode ser mais interessante e rentável.

Neste texto, vamos te explicar porque existe uma nova vertente que prega que os investimentos fora dos bancos, junto a empresas especializadas, pode fazer mais sentido aos investidores do que as instituições financeiras tradicionais.

Por que pensamos em banco quando pensamos em dinheiro?

Antigamente, a economia vigente era a de troca, ou seja, as transações entre pessoas eram feitas por meio da troca direta de bens (sementes, grãos etc.). Conforme essas transações foram se tornando mais complexas, surgiu a necessidade de criar-se um símbolo do valor negociado, e assim surgiu a moeda, simbolizando as trocas indiretas.

Aproximadamente na mesma época do surgimento da moeda, foram criadas as primeiras instituições bancárias, pois percebia-se que em algumas negociações “sobrava” dinheiro (que precisava ser guardado) ou “faltava” dinheiro (que precisava ser emprestado).

Os bancos surgiram para suprir essa necessidade de haver um lugar para armazenar o dinheiro. Até mesmo entes políticos começaram a ter seus próprios bancos oficiais. Assim, a ideia do banco como sendo “o lugar onde fica o dinheiro” se popularizou.

Porém, justamente pela popularização, o banco pode não ser a alternativa mais interessante para quem deseja realizar outras operações além do depósito e empréstimo de dinheiro.

Por que os bancos podem não ter as melhores opções de investimento?

Como você leu no item acima, os bancos se especializaram na manutenção de contas para os correntistas guardarem seu dinheiro.

A tradição de se manter uma conta bancária e a facilidade de acesso aos bancos gerou o fenômeno conhecido como “bancarização”.

Você, por exemplo, certamente tem uma ou várias contas em bancos diferentes e confia neles para cuidar do seu dinheiro.

Em 2016, cerca de 140 milhões de brasileiros como você afirmaram ter algum tipo de relacionamento bancário. Com tantos clientes, é natural que se torne difícil oferecer o mesmo atendimento a todos, especialmente àqueles clientes que desejam realizar operações que não são o forte dos bancos.

Por vezes, os bancos até têm investimentos interessantes, mas ficam restritos aos clientes especiais, com maiores patrimônios.

A assessoria do banco também pode não ser a mais adequada

Se você confia no seu banco para cuidar do seu dinheiro, certamente já conhece os serviços que ele oferece, certo? 

Todos esses serviços (dos menores aos mais sofisticados) são organizados de forma a manter a estrutura completa do banco funcionando; ou seja: cada custo cobrado e cada retorno oferecido são calculados de forma que consiga gerar lucros para o banco.

Isso significa que, quando você, correntista, deseja realizar algum tipo de investimento por meio do seu banco, é possível que as opções disponíveis sejam mais atraentes para o próprio banco do que para você.

Exemplo mais comum: a poupança

A poupança é o investimento mais conhecido e o mais comumente oferecido pelos bancos. A maioria deles oferece a criação e manutenção gratuita de uma conta poupança, na qual você depositará seu dinheiro em troca de uma rentabilidade ao mês.

Hoje em dia já sabemos que a poupança é um investimento seguro e de boa liquidez (resgate imediato), mas com baíxissima rentabilidade. No entanto, segue altamente recomendada pelos bancos, que usam este recurso “barato” para emprestar para outras pessoas a taxa muito mais elevadas (spread bancário).

Qual a vantagem de buscar uma instituição especializada?

Nos últimos anos, muitas pessoas têm tentado realizar o fenômeno inverso, chamado de “desbancarização”, migrando para outros canais de investimentos que oferecem serviços mais especializados para quem deseja investir.

A maior vantagem destes canais é, exatamente, o fato de ela ser especializada. Quem atua especificamente no segmento de investimentos possui a expertise e estrutura necessárias para investir dinheiro de maneira a obter melhores resultados.

As gestoras de investimento (empresas especializadas em investir dinheiro de terceiros, via fundo de investimentos), por exemplo, possuem um alinhamento de interesse natural com o investidor, uma vez que quanto maior o resultado para o investidor, maior será a remuneração da gestora. 

Importante: assim como no banco, o seu dinheiro fica guardado com uma instituição financeira; entretanto, ele fica separado e é usado única e exclusivamente para investimentos do cliente.

Ótimo… e como eu faço para acessar estas instituições?

Atualmente, estas instituições são muito mais fáceis de serem acessadas. A revolução digital que temos observado nos últimos anos permitiu que as corretoras construíssem plataformas digitais, uma espécie de supermercado de produtos, onde é possível encontrar alguns dos melhores fundos de investimentos disponíveis.

Outra possibilidade é entrar em contato diretamente com a gestora responsável pelo fundo de seu interesse, muitas delas possuem um canal aberto de comunicação com os investidores, e estão muito bem preparadas para esclarecer as dúvidas e te direcionar para a melhor forma de acessar seus produtos. Iremos abordar este tema com um pouco mais de profundidade em futuras publicações.

Se quiser continuar aprofundando seus conhecimentos, assine a nossa newsletter para receber sempre o nosso conteúdo!

Conheça opções de investimento fora do seu banco
Avalie esse post