Ensinar os principais conceitos de educação financeira para os filhos, desde cedo, tem se tornado prioridade para um número cada vez maior de pais.  Embora o assunto seja abordado em poucas escolas, é fundamental que o assunto seja tratado em casa, A preocupação de ensinar os filhos a lidar com finanças e com conceitos como organização financeira, poupar e juros é, realmente, uma boa estratégia para evitar que, no futuro, os pequenos tenham dificuldades para gerenciar seu próprio dinheiro.

Entre as boas práticas de educação financeira infantil estão não fazer com que o tema dinheiro seja tabu em casa, incentivar a percepção de valores e combinar recompensas por tarefas.

Introduzir o sistema de mesada, definir um valor adequado para ela e mostrar a importância de controlar gastos também são ações que podem ajudar a formar adultos mais conscientes financeiramente. 

Continue lendo e confira as nossas dicas para começar a ensinar educação financeira para os filhos!

Não torne o dinheiro um tabu em casa

Um dos passos mais importantes para ensinar educação financeira para os filhos é abordar o assunto naturalmente com as crianças.

Tenha em mente que, quanto mais confortáveis os pequenos se sentirem em relação ao tema, mais fácil será para eles lidarem com dinheiro e fazerem as melhores escolhas para suas finanças ao longo da vida.

Conceitos básicos, como orçamento, gastos, cartão de crédito e salário, devem ser ilustrados de forma prática para seus filhos entenderem sem dificuldades.

Incentive a percepção de valores

Não são poucas as crianças que, ao pedirem para ganhar alguma coisa, têm seus desejos prontamente atendidos pelos pais e pela família. Essa prática, apesar de comum, é nociva, porque, ao terem tudo o querem sem esforço, os filhos deixam de enxergar o valor das coisas.

Para evitar essa situação, faça com que as crianças realmente valorizem cada presente. Evite dar mimos para os pequenos fora de datas comemorativas apenas porque eles pediram para ganhar algo. Agregue valor a todas as coisas, por menores que sejam, relacionando sempre esforço e recompensa.

Combine recompensas por tarefas

Falando em recompensa, uma forma de introduzir esse conceito para os pequenos é delegando tarefas que, se cumpridas com sucesso, serão devidamente recompensadas.

Estipule atividades de acordo com a idade da criança e dê autonomia para ela concluir a tarefa e, assim, receber o pagamento combinado, seja em dinheiro ou em forma de brinquedos ou figurinhas.

Introduza um sistema de mesada

Um dos instrumentos mais úteis para praticar a educação financeira com os filhos é a mesada. Depois de conversar com os pequenos sobre dinheiro e conceitos relacionados, como despesas e receitas, estipule uma mesada ou uma “semanada”.

Mostre para as crianças que a responsabilidade por administrar aquela receita é delas. Dessa forma, seus filhos começam a ter noção de que as escolhas financeiras são deles e as consequências delas, também.

Estipule um valor adequado para a mesada

Não há consenso sobre qual é, exatamente, o melhor valor de mesada. Para definir a quantia certa para cada criança é importante considerar alguns pontos, como o orçamento familiar, a idade do filho e os gastos que ele costuma ter.

Uma criança de 8 anos tem despesas diferentes de outra de 14. Os mais novos, além de terem menos maturidade para administrar o dinheiro, têm gastos menores, como guloseimas e brinquedos mais simples.

Já um pré-adolescente costuma ter despesas mais elevadas por já ter uma vida social, com cinema e lanchonete, por exemplo.

É importante que a mesada acompanhe os hábitos e o estilo de vida dos filhos, mas sempre dentro do orçamento financeiro da família e com as despesas definidas que serão arcadas com a mesada, assim ficará mais fácil de calcular o valor total que será destinado ao filho e mais claro sobre quais despesas serão de responsabilidade dos pais.

Estimule o hábito de poupar

A mesada é uma ferramenta útil para ensinar as crianças a gerenciarem seu próprio dinheiro. Mas, além disso, dar uma quantia mensal para os filhos também é uma forma de mostrar para os pequenos como é preciso poupar para depois gastar.

Um cofrinho é o aliado perfeito para estimular o hábito de poupar em crianças menores. Mostre para os pequenos que se eles guardarem um pouco do que ganham de mesada todo mês, em algum tempo poderão comprar o brinquedo ou a roupa que tanto desejam.

Ajude a controlar gastos

Para uma vida financeira saudável, não basta apenas poupar: é preciso também manter o controle de gastos em dia.

Ao oferecer para a criança a chance de ter o próprio dinheiro, incentive que ela controle suas despesas para o valor recebido não acabar antes da hora.

Mostre como fazer um planejamento e criar um orçamento pessoal. Não precisa ser nada sofisticado: basta listar as despesas e receitas em um caderninho e fazer a dedução do saldo da mesada sempre que houver algum gasto.

Diferencie necessidade e supérfluos

Outro passo importante para aplicar a educação financeira infantil em casa é mostrar para os pequenos a diferença entre despesas que são essenciais e aquelas que são supérfluas.

Querer é diferente de precisar. Por isso, ao optar por comprar algo que não é exatamente essencial, seu filho deve entender que, no futuro, pode não ter recursos para comprar algo que realmente necessita.

Caso ele queira, ainda assim, comprar o supérfluo, permita, explicando que,  a escolha terá consequências. Aprender com os próprios erros é parte importante da educação financeira.

Ensinar educação financeira para os filhos é bem mais fácil do que parece. Ao começar, desde cedo, a mostrar para as crianças a importância de gerenciar o próprio dinheiro com sabedoria, controlar gastos e poupar para, no futuro, adquirir aquilo que deseja, você ajuda a formar adultos financeiramente conscientes.

É importante ter em mente que, além de explicar conceitos financeiros e ajudar seus filhos a gerenciar seus recursos e fazer as melhores escolhas, é preciso também dar o exemplo. Isso, na prática, quer dizer abrir mão de hábitos nocivos para as finanças, como exagerar nas compras por impulso, extrapolar nos gastos no cartão de crédito ou recorrer constantemente a empréstimos para fechar as contas do mês. Seja uma inspiração!

Agora que você entendeu a importância da educação financeira para os filhos, leia também sobre  o que fazer para garantir um bom futuro a eles!

Entenda a importância da educação financeira para os filhos
5 (100%) 1 voto