A pergunta do título ronda a cabeça da maioria dos investidores. Afinal, ficar rico investindo é o desejo de qualquer pessoa. No entanto, esse questionamento envolve diferentes variáveis e, por isso, não é tão simples de se responder.

A verdade é que você até pode alcançar esse patamar, mas não será uma tarefa simples. Dependerá de disciplina, do emprego de muitos esforços, da reestruturação da mente e de ultrapassar a média de um investidor comum.

Por isso, se você pretende ganhar um bom dinheiro com aplicações e quer até enriquecer nesse processo, precisa deixar de lado os mitos que rondam essa ideia e focar em dicas práticas. É isso que trazemos neste post.

Aqui, você verá o que deve fazer para investir corretamente seu dinheiro, ter disciplina e buscar viver somente de investimentos. Quer saber mais? Então, acompanhe as sugestões:

1. Poupe mais e invista a diferença

O primeiro passo para quem quer investir a fim de ficar rico é economizar o máximo que puder e aplicar esse dinheiro. Verifique todos os seus gastos e veja o que pode cortar para guardar mais dinheiro.

Tenha em mente que o valor a ser investido é como uma despesa. O ideal é não esperar que sobre algo ao final do mês, mas sim aplicar uma parte do que recebe como se estivesse pagando uma conta.

Algumas dicas práticas para poupar mais são, por exemplo, evitar financiamentos longos a fim de não sofrer a incidência de juros, reduzir os supérfluos e fazer trabalhos extras para aumentar a renda. Aplique o valor máximo que puder.

Outra estratégia é se tornar mais valioso para ganhar mais. Pergunte-se se você está em uma empresa e em um cargo que demandam suas habilidades ou se é possível solicitar um aumento. Essa é uma estratégia para ter mais dinheiro e poder investir mais.

2. Busque a melhor rentabilidade

O rendimento é um ponto fundamental para qualquer investidor. É preciso compreender a diferença de retorno entre as aplicações, porque isso traz resultado se você quer ficar rico.

Por exemplo: é evidente que a rentabilidade de 4% é menor que a de 10%, mas o que isso significa na prática? A segunda pode dobrar seu patrimônio em apenas 8 anos, enquanto a primeira demora 18 anos para fazer a mesma coisa.

3. Compreenda a relação entre risco e retorno

Esses dois elementos caminham juntos quando falamos de investimento. A regra é: quanto maior o risco, maior é a possibilidade de obter grandes ganhos. A questão é que isso é conseguido, geralmente, com aplicações de longo prazo.

A explicação é simples. O mercado financeiro é regido pela arbitragem, ou seja, um investimento que tenha retorno alto com risco baixo, tende a atrair mais interesse e, se muitas pessoas se interessam por aquele investimento, haverá uma pressão sobre o rendimento para baixo.

Entender essa relação é fundamental para evitar que você seja atraído por situações utópicas. Afinal de contas, a chance de você ficar rico da noite para o dia é quase nula.

Observe também que essa máxima é válida para investimentos de renda fixa e variável. Isso significa que, por exemplo, papéis de dívida corporativa, Certificados de Depósitos Bancários (CDBs) e debêntures pagam mais do que o Tesouro Direto, que são títulos do governo. Por quê? Porque o mercado entende que o risco governo (soberano) é o mais baixo risco para se investir.

As ações, por sua vez, podem ter um retorno ainda maior — mas as chances de perdas também são mais elevadas.

4. Reduza as taxas e invista a diferença

Os investidores experientes costumam dizer que o mais importante não é exatamente o que você ganha, mas aquilo que consegue manter. Portanto, pesquisar se as taxas cobradas condizem com o produto oferecido é uma atitude que faz a diferença.

O exemplo mais comum é o fundo DI, em que todos aplicam em ativos similares e não há grande sofisticação. Para esse tipo, seu retorno estará totalmente relacionado à sua taxa de administração.

Já para os fundos de gestão com maior valor agregado, analise as taxas, mas não deixe de conferir o histórico de rentabilidades: afinal, a consequência dos altos custos será um resultado reduzido na rentabilidade e isso é o que de fato importa. As lâminas dos fundos já mostram os resultados líquidos das taxas de administração.

5. Aposte na educação financeira

A opção por ficar rico investindo exige que você se especialize no assunto. Acredite: aplicar seu dinheiro com base no que você acha é um erro que pode custar muito caro no futuro.

educação financeira serve para fomentar a riqueza e ajudá-lo a viver bem hoje e nos próximos anos. Isso não quer dizer que você precisa ser um expert e conhecer todos termos, siglas e conceitos, mas sim que deve tomar decisões inteligentes e saber escolher a melhor alternativa no contexto que se apresenta.

Lembre-se de que você só ficará rico com investimentos se tiver paciência e apostar em si mesmo. O aprendizado e o esforço são peças fundamentais nesse processo — e não há fórmula mágica que desvende o que deve ser feito. O que existe é conhecimento!

6. Entenda a matemática das aplicações para ficar rico investindo

A ideia de que você pode ter apenas um investimento excelente, que mudará a sua vida, é um mito. Sua fortuna não será construída com base em uma aplicação que, por exemplo, triplicará no período de 1 ano.

É preciso sair dessa ideia e ir além. O mais comum é que você tenha que esperar décadas para ter um resultado altamente multiplicado, do qual você possa viver de renda.

As chaves para o sucesso são:

  • tomar boas decisões;
  • ter ideias estruturadas;
  • compensar as escolhas ruins com alternativas acertadas;
  • dar tempo ao tempo.

É assim que você poderá ser seletivo sobre o que compra. Depois, é só aguardar o retorno sem se desfazer dos produtos pelos quais optou por ansiedade ou receio. As flutuações são normais e é preciso ter tranquilidade para aguentar esses momentos.

7. Conheça o poder dos juros compostos com o tempo

O que são juros?

Podemos dizer, resumidamente, que os juros são a remuneração devida ao investidor que emprestou dinheiro a um terceiro. É, em outras palavras, o preço do próprio dinheiro. O quanto pagamos para poder usar um valor emprestado em operações comuns no nosso dia a dia, quando parcelamos uma conta no cartão de crédito ou quando deixamos de pagar uma dívida no prazo.

O investidor que aplica uma quantia no Tesouro Direto, por exemplo, empresta esse montante para que o governo possa viabilizar seus projetos e, em troca, recebe seu dinheiro de volta no final de um determinado período, acrescido da sua remuneração, isto é: os juros.

Juros simples e juros compostos

Nem todos os juros são iguais. Quando deixamos de pagar uma dívida, por exemplo, somos penalizados com uma multa e, também, com o pagamento de juros, contados a cada dia a partir da data do vencimento da obrigação. Aqui, estamos falando de juros simples.

Neste caso, os juros simples incidem sempre sobre o mesmo montante. Assim, se eu invisto 100 reais a um retorno de 1% ao mês, terei 103 reais ao final de três meses.

Já os juros compostos incidem sobre uma base variável, que acompanha o crescimento do montante inicial investido. Com isso, no segundo mês, o juro incidirá sobre a soma entre o montante inicial e os rendimentos acrescentados após o primeiro mês.

No terceiro mês, os juros incidirão sobre a soma entre o montante inicial, os rendimentos do primeiro mês e os rendimentos do segundo mês (que já serão maiores que os do primeiro). Só para termos uma ideia, se o mesmo investimento que citamos acima fosse realizado a juros compostos, teríamos precisamente R$ 103,0301 ao final do terceiro mês.

Juros compostos e o tempo

A princípio, podemos até pensar que a diferença entre R$ 103,00 e R$ 103,0301 não é tão significativa assim, afinal, com apenas três centavos não dá para comprar nem mesmo uma bala.

Com o passar do tempo, no entanto, essa diferença acaba se tornando gritante por dois motivos: primeiro, porque o montante do investimento tomará corpo e os valores começarão a ficar mais altos. Segundo porque os juros simples proporcionam um aumento linear na quantia investida, enquanto os juros compostos proporcionam um aumento exponencial. Isso significa que quanto mais tempo o dinheiro ficar investido, mais ele renderá.

8. Livre-se dos mitos que rondam o mundo dos investimentos

Só gente rica pode investir

Pode até ser verdade que pessoas ricas têm acesso a oportunidades melhores do que investidores que têm pouco a oferecer. No entanto, isso não significa dizer que o investimento não vale a pena para o iniciante ou para quem não possui vasto patrimônio para aplicar.

O grande exemplo disso, no Brasil, são os títulos públicos. Qualquer pessoa que tenha algum conhecimento básico na área já pode parar de perder dinheiro imediatamente na conta corrente, conta poupança ou em “investimentos” oferecidos por grandes bancos.

Os títulos públicos estão disponíveis para investimentos a partir de R$ 30,00. Isso significa que se não conseguimos poupar 30 reais no final do mês para começar a investir, então talvez a saída seja readequar o estilo de vida da família para um padrão financeiramente mais saudável.

Apenas os especialistas têm acesso às melhores oportunidades

Muitas pessoas imaginam que o caminho para o sucesso no mundo dos investimentos está reservado aos grandes especialistas do mercado financeiro. Imaginam, talvez, que os grandes investidores são sempre arrojados e apostam alto em suas teses.

Os fatos, no entanto, demonstram que esse tipo de padrão não tende a chegar muito longe em termos de resultados no mercado financeiro.

A verdade é que grandes investidores procuram sempre a melhor rentabilidade e utilizam o peso de seus investimentos como margem de manobra, mas eles nunca correm mais riscos do que o planejado para conseguir essa rentabilidade.

Portanto, em geral, podemos dizer que os investidores mais experientes tendem a não correr grandes riscos em nome de uma grande oportunidade, mesmo que ele tenha muitos anos de experiência. A segurança não pode ser negligenciada.

Todo mundo que investe fica rico

Por mais que seja possível ficar rico desse modo, temos que reconhecer que isso não é o que acontece com a maioria das pessoas que decidem investir suas economias. O investimento é, na maior parte das vezes, uma forma de proteger o patrimônio e obter rendimentos de longo prazo.

Se o objetivo é aumentar o patrimônio, então é preciso estar predisposto a fazer o que a maior parte das pessoas não fazem. Temos que ir além do investidor mediano. Podemos fazer isso melhorando nossa educação financeira, aumentando nossos rendimentos, cortando gastos e, é claro, aplicando a diferença!

É possível ficar rico investindo da noite para o dia

Todo investidor tem uma esperança, ainda que remota, de acordar um dia e descobrir que possui ações de uma pequena empresa que acabou de descobrir uma tecnologia revolucionária, o que fez com que as ações fossem catapultadas e seus investidores ganhassem milhões em poucos dias.

O problema com esse tipo de expectativa é que ela está muito longe da realidade. Não é que isso nunca tenha acontecido na história da bolsa, mas é que são casos muito raros. Para a maior parte dos investidores, as aplicações são um investimento de longo prazo.

Em conclusão, podemos afirmar que é possível, sim, ficar rico investindo. No entanto, o caminho é estreito e exige disciplina, foco, força de vontade e conhecimento.

Podemos dizer que o primeiro passo no caminho do investidor iniciante é compreender a diferença entre poupar e investir. São duas atividades complementares, mas que têm significados completamente distintos.

Poupar é conseguir um superávit no final do mês: literalmente, fazer algum dinheiro sobrar. Investimento é o que fazemos depois disso, para proteger nosso dinheiro da inflação e ainda fazê-lo render.

Depois que já conseguimos poupar e proteger nosso patrimônio, é hora de começar a desenvolver nossa inteligência financeira, pois, assim, o investidor consegue entender o seu perfil e se arriscar um pouco mais em melhorar a rentabilidade de suas aplicações, mantendo-se dentro de um patamar de segurança por meio de técnicas como a diversificação, por exemplo.

Por fim, a última dica para quem quer ficar rico investindo é sempre se manter informado, continuar a estudar e a acompanhar os seus investimentos, já que os cenários podem mudar drasticamente dentro de pouco tempo no mercado de capitais.

Entre em contato com a Claritas e dê agora mesmo o primeiro passo para se tornar um investidor e começar a ampliar os rendimentos da família!

Ficar rico investindo, é possível? Entenda aqui!
5 (100%) 1 voto