Quando pensamos em dinheiro, logo associamos a bancos. Isso é compreensível, já que, desde pequenos, aprendemos que esse é o lugar para guardá-lo. No entanto, essas instituições financeiras nem sempre oferecem as melhores opções para seus clientes.

Produtos com altas taxas e retornos baixos, além da falta de um acompanhamento adequado, podem atrapalhar o resultado de suas aplicações. Por isso, investir fora do banco pode ser uma ótima alternativa para quem quer aproveitar suas economias ao máximo e alcançar seus objetivos de vida.

Quer saber como fazer isso? Leia este post e confira todos os passos!

Por que investir fora do banco?

Os grandes bancos de varejo fazem um ótimo trabalho no que diz respeito a oferecer serviços financeiros (como pagamentos de contas, empréstimos pessoais e oferta de caixas eletrônicos para saques).

No entanto, essas grandes empresas atendem um público muito grande e, por isso, nem sempre são capazes de ofereceras melhores soluções para cada cliente em todas as frentes. Um bom exemplo disso são os investimentos.

Os bancos até oferecem opções para aplicações, como seus próprios fundos e títulos de dívida (por exemplo, os CDBs — Certificados de Depósitos Bancários — um empréstimo que você faz ao banco). Porém, é comum elas apresentarem rentabilidade baixa e altas taxas em praticamente todas as modalidades.

Isso pode comprometer o crescimento do seu patrimônio e tornar mais difícil alcançar seus sonhos. Os bons produtos ficam restritos aos clientes especiais, que já possuem muito dinheiro.

Além disso, não há um atendimento especializado para aconselhar o cliente que deseja investir. Isso acontece porque há um conflito de interesses: o gerente da sua conta não recebe nada a mais quando o seu investimento é bem sucedido por receber uma orientação correta. Pelo contrário, esse profissional tem metas de vendas de produtos a bater, normalmente os que geram maior resultado ao banco.

Por isso, não é de seu interesse entender o que o investidor precisa e, sim, apenas convencê-lo a comprar uma das opções que o banco oferece.

Dessa forma, quem está procurando obter melhores retornos ao empregar seu dinheiro deve procurar uma empresa especializada em investimentos. É sobre o que falaremos a seguir. Acompanhe!

Como fazer?

Ao contrário do que muita gente pensa, investir fora do banco não é uma tarefa impossível, burocrática ou restrita a quem já tem muito dinheiro.

Graças ao avanço da tecnologia, hoje já é possível resolver grande parte dessa tarefa pela internet, sem precisar sair de casa. 

Encontre uma empresa especializada

O primeiro passo para tirar mais proveito do seu dinheiro é encontrar os produtos geridos por empresas especializadas em investimentos.

Uma boa opção para encontra-los é buscar uma plataforma digital. Elas funcionam como “shoppings centers financeiros”, distribuindo produtos de várias outras empresas: 

  • fundos de investimentos de gestores independentes, que cobram taxas menores e entregam melhores resultados.
  • títulos de dívida de bancos pequenos e médios, que oferecem melhores remunerações que os grandes; 
  • títulos da dívida pública, uma opção bastante segura e rentável, por meio do programa Tesouro Direto;
  • acesso ao mercado de ações por intermédio de uma plataforma chamada Home Broker; 

Procure uma instituição séria, reconhecida no mercado e com certificações de entidades como a B3 (novo nome da BM&FBOVESPA, depois de sua fusão com a Cetip), a ANBIMA e a CVM. Fique atento às taxas cobradas e à qualidade do atendimento.

Também é possível entrar em contato diretamente com a gestora de recurso responsável pelo fundo de investimentos pelo qual se interessou. Ela poderá dar mais instruções sobre o que você precisa fazer para aplicar seu dinheiro.

Conheça seu perfil de investidor

Além de conhecer bem as opções disponíveis no mercado, quem quer aplicar seu dinheiro precisa de uma boa dose de autoconhecimento. É necessário saber o quanto de risco se está disposto a correr na tentativa de alcançar maiores rentabilidades. Essa resistência é o chamado perfil de investidor.

Empresas financeiras oferecem esse questionário também chamado suitability. Ele traz perguntas sobre o que você espera dos seus investimentos, quanto daquele dinheiro poderá ser necessário nos próximos anos, o que faria se houvesse uma queda brusca no valor de suas aplicações e o quanto está familiarizado com diversos conceitos do mercado financeiro.

Não há certo ou errado nas respostas. Elas servem para conhecer melhor o cliente e dizer se ele é um investidor mais conservador ou arrojado, por exemplo.

Conservador é aquele que se contenta com a segurança de ganhos menores, mas constantes. Arrojado, por sua vez, é aquele que consegue manter a calma nos altos e baixos do mercado financeiro enquanto espera por lucros maiores no longo prazo.

Escolha o produto em que você quer investir

O seu perfil de investidor indicará quais são as opções mais adequadas para seus objetivos. A partir daí, você poderá escolher entre os produtos disponíveis.

Como dissemos, uma boa instituição oferece grande variedade, seja na renda fixa pós-fixada (investimentos com regras de remuneração definidas, com baixa volatilidade), ou na renda variável (opções cujo valor é definido pelo mercado, como as ações).

Uma boa opção para quem está começando são os fundos de investimentos. Eles têm regulamentos e objetivos pré-definidos. Assim como os investidores, eles também podem ser mais conservadores ou mais arrojados, dependendo do que diz seu regulamento e qual é o público-alvo.

Fundos de investimentos recebem recursos de diversos clientes e ficam responsáveis pela compra dos chamados ativos financeiros, isto é, os produtos que farão o dinheiro efetivamente crescer.

Assim, o investidor iniciante pode ter acesso a conhecimentos e estratégias avançadas sem precisar conhecer em detalhes o funcionamento do mercado financeiro.

Transfira o dinheiro e invista

Depois de abrir uma conta em uma empresa especializada, conhecer seu perfil e escolher o produto, é hora do investimento propriamente dito.

Depois, é só entrar na plataforma da corretora ou da gestora e fazer a aplicação. Pronto! Você provavelmente verá seu dinheiro render mais do que se tivesse optado por um dos produtos do banco.

Viu como investir fora do banco não é tão complicado quanto parece? Essa simples iniciativa poderá fazer a diferença na sua formação de patrimônio e permitirá que você conquiste muito mais em sua vida! 

Quer saber mais sobre isso? Entre em contato conosco! Nós podemos ajudar você!

 

Investir fora do banco: nós te ensinamos como fazer
Avalie esse post