Para você que não consegue poupar dinheiro no final do mês, a Anbima publicou em seu blog “Como Investir” algumas dicas muito importantes para retomar o controle das finanças e recolocar a vida nos eixos! Confira o artigo completo conosco:

Chegou o final do mês e você não conseguiu poupar nada? Você coloca suas despesas no papel e não chega a conclusão nenhuma? Saiba que muitos vilões do orçamento estão nos pequenos gastos do dia a dia, que passam despercebidos.

Veja abaixo algumas ciladas em que você entra na vida financeira e nem faz ideia:

  1. Pequenos gastos diários: é o cafezinho depois do almoço, a garrafa de água no farol em um dia quente, o chocolate comprado na farmácia, um eletrônico baratinho no xing ling, a blusinha básica de R$ 15,00… sabe aqueles gastos que parecem não pesar quando você toma a decisão de comprar algo? Pois é, são esses mesmos! “A gente só consegue saber o quanto vai embora com essas coisinhas medindo e anotando, porque elas escapam! Às vezes, a torneira que leva nosso dinheiro para o ralo é essa e nem fazemos ideia”, fala Valter Police, planejador financeiro e coordenador da academia Fiduc.
  2. “Agora vou ser fitness, então já vou pagar um plano anual na academia – está mais em conta e assim eu me obrigo a ir”. Quem nunca ouviu essa frase? E quem não sabe o clássico final dessa história? A pessoa não vai treinar, mas também não cancela, na esperança de um dia ir e porque o valor mensal é razoavelmente baixo. Isso vale para qualquer assinatura: clube, jornais, revistas, serviços de streaming, etc. “Trata-se da compra de uma despesa e, se você não usa, o dinheiro vai embora sem nenhum benefício”, explica Police.
  3. E o prêmio de maior vilão do orçamento vai para as compras parceladas! Por mais controlado que você seja, esse tipo de gasto costuma enganar. Só temos a dor de pagar a primeira parcela, as demais não percebemos como um custo. “É um comprometimento de renda mensal com coisas do passado sem ter certeza do ganho futuro”, fala Police. Para o planejador, o ideal é nunca parcelar, mas juntar todo o dinheiro para comprar à vista no débito: primeiro ganha, depois gasta. Se for mesmo necessário, o ideal é que as parcelas não passem de 30% da sua renda, considerando também todos os financiamentos que você tem, como carro, casa e empréstimo. Com 70% da renda livre, é possível viver bem e ainda poupar.

Anote, inclua nas finanças, mas considere suas vontades

O caminho para ver se o seu dinheiro está indo embora nessas ciladas é o de sempre: definir um mês e anotar todos os gastos. “Fazer isso sempre é chato, mas uma vez pode ser suficiente”, diz o planejador. Hoje em dia, os diversos aplicativos puxam o extrato da sua conta no banco e fazem essas contas automaticamente.

Se você constatar que seu dinheiro está indo mesmo pelo ralo por causa do cafezinho, é preciso refletir. “Essas situações me fazem feliz, são importantes para mim? Se sim, tudo bem, cada um tem suas prioridades. Se não fazem diferença, é hora de repensar”, afirma.

Gostou das dicas? Então aprenda a fazer um bom planejamento financeiro pessoal para assumir o controle das finanças e alcançar aqueles tão sonhados objetivos de vida.

Situações que prejudicam suas finanças e você nem percebe
5 (100%) 2 votos